Publicado em 07 de jan de 2019

Um Natal em Águas de Lindoia

Há um ano eu estava prestes a completar meu primeiro mês da viagem mais incrível que fiz. Acho que vocês se recordam dos meus stories e vídeos de Toronto, não?!

Mas dessa vez o destino não foi na gringa, e sim em um cidadezinha do interior de SP: Águas de Lindoia. Muita gente só lembra do lugar pelo nome da água de garrafa que é vendida na capital paulista, já para mim o espaço me leva de volta à infância. Digo isso porque desde bebê meus pais levam eu e meus irmãos para o pequeno município com pouco mais de 17 mil habitantes.

Andar de cavalo, comprar deliciosos queijos e docinhos artesanais, tomar o sorvete caseiro de uma senhora de 80 anos, aproveitar uma piscina, caminhar pela cidade sem preocupação e visitar regiões próximas estavam na minha lista de afazeres na rápida viagem de três dias.

Ah, vale lembrar que pela primeira vez passei o Natal em Lindoia no Hotel Majestic. E ó, valeu muito a pena. A cidade estava decorada, as pessoas, como sempre, faziam questão de se cumprimentarem na rua e a energia de tudo estava incrível.

Agora chega de conversa por aqui. Mais uma vez levei a câmera para filmar alguns momentos especiais da viagem para vocês! E posso falar? Esse retiro retomou a energia que esse ano deixei nas diversas mudanças que minha vida teve.

Confira:

Gostou?!

Bom, hoje é só. Até a próxima e qualquer dúvida sobre Águas de Lindoia entre em contato com a gente pelo Instagram, Facebook ou manda aquele e-mail padrão que nós respondemos.

 

BeiJUs, Juliana

Tags
Avatar

Postado por

Juliana Garcia

"Quando paro para escrever sobre mim é sempre um desafio". Essa frase me acompanha há tempos, porém descobri com o tempo que ainda estou em busca de quem sou, me perdi, me perco no caminho da vida e estarei tentando me achar. Quem aqui estiver, espero que desfrute da jornada comigo e que em algum momento se deixe vulnerável o bastante para sentir. Afinal o sentimento é o que nos torna humanos, não?! Aquilo que vem de dentro quero abraçar, seja o detalhe da alegria, dor, faz tudo parte da caminhada que o coração, corpo e mente expõem. Se aprendi uma coisa, principalmente após meu pai ser diagnosticado com uma doença rara (ELA), é que o corpo humano é maravilhoso e conviver com ele está para lá de ser algo fácil, então seja qual for o momento da vida quero poder gritar o que penso, sem regras e pontos. Se for preciso pontos que sejam os meus. Até breve, Ju.