Publicado em 07 de abr de 2019

Garfadas brasileiras à moda italiana

Comer bem no Brasil não é tão difícil se comparado a outros países. Agora, comer bem e gastando um preço justo já são outros quinhentos.

Dias atrás, saí do trabalho e fui direto para o Shopping Market Place, zona sul de São Paulo, assistir a pré-estreia de Dumbo – que te leva através de uma fotografia mágica de volta à infância. Quando o filme acabou, a fome batia e como já estava tarde resolvi arriscar um restaurante italiano ali mesmo: o Abbraccio.

A recepção foi calorosa, o ambiente é aconchegante, iluminado e lembra um pouco da experiência de piquenique no parque, já que as mesas ficam próximas e os assentos são bancos de madeira.

A primeira coisa a vir das mãos dos garçons, como sempre, é o cardápio que tem média de preço na faixa dos R$55,00. Enquanto escolhia entre massa, carne, risoto ou outra combinação, chegou por conta da casa uma cestinha de boas-vindas com pão artesanal e uma mistura, a qual amo, de azeite, ervas e pimenta para molhar a fornada.

Para acompanhar, pedi um chá de laranja vermelha e estava sen-sa-cio-nal. Ah, a bebida era refil. Acabando meus primeiros goles e de comer, escolhi a janta. Um belo spaghetti com almôndegas servido com saladinha ou sopa de lentilha ou frango, por R$39,00.

Escolhi o caldo de frango, por sugestão do atendente, porque não sou muito forte para pimenta e todos os pratos tem um dedinho do ingrediente, então vale ficar atento. A entrada quentinha veio em uma combuquinha, era bem temperada e com aroma de galinhada de vó, simplesmente uma delícia.

Ao fim dessa etapa eu estava de barriga quase cheia, quando chegou o prato principal: o belo spaghetti com três almôndegas. Quando olhei para tanta comida, sabia que teria que levar pelo menos metade para casa.

A primeira garfada foi uma mistura de sabores, a massa era leve, no molho dava para sentir pequenos pedaços de tomate e a carne era tão macia que nem precisava do auxílio da faca para cortá-la.

Enfim o jantar acabou e eu tive uma experiência única. Mal posso esperar para ser levada à Itália novamente.

Até breve, Ju.

Tags
Avatar

Postado por

Juliana Garcia

"Quando paro para escrever sobre mim é sempre um desafio". Essa frase me acompanha há tempos, porém descobri com o tempo que ainda estou em busca de quem sou, me perdi, me perco no caminho da vida e estarei tentando me achar. Quem aqui estiver, espero que desfrute da jornada comigo e que em algum momento se deixe vulnerável o bastante para sentir. Afinal o sentimento é o que nos torna humanos, não?! Aquilo que vem de dentro quero abraçar, seja o detalhe da alegria, dor, faz tudo parte da caminhada que o coração, corpo e mente expõem. Se aprendi uma coisa, principalmente após meu pai ser diagnosticado com uma doença rara (ELA), é que o corpo humano é maravilhoso e conviver com ele está para lá de ser algo fácil, então seja qual for o momento da vida quero poder gritar o que penso, sem regras e pontos. Se for preciso pontos que sejam os meus. Até breve, Ju.