Publicado em 25 de jan de 2018

Aumente o volume: BØRNS

 

Holt Renfrew

Com o seu visual andrógeno e vocais suaves, Børns é facilmente confundido como uma mulher em suas músicas; Mas se engana quem pensa isso. O americano Garrett Clark Borns, mais conhecido como BØRNS, de Grand Haven, no Michigan, é um dos cantores mais talentosos e fantásticos que temos atualmente. Estiloso, o cantor de 26 anos de idade é figurinha carimbada em fashion-weeks, e um grande consumir da Gucci, porém, é muito mais do que um fashion-icon masculino da nossa geração. Com músicas no estilo indie-pop, rock-alternativo, e pop-psicodélico, ele se revelou como uma das promessas da música, e você com certeza deveria dar uma atenção para o rapaz aí em cima.

Tudo começou quando Garett, se mudou para Los Angeles, e assinou contrato com a Interscope Records em 2014, lançando o seu debut, a música 10,000 Emerald Pools, e também o extended play, Candy. No ano seguinte, ele saiu em tour com Charli XCX e o meu querido Bleachers, na Charli and Jack Do America Tour. Ele também cantou no Lollapalooza Chicago do mesmo ano. No dia de 6 de maio de 2015, em seu canal do Youtube, foi lançado o novo single de seu novo projeto.

Tumblr

O vídeo de Electric Love, até então foi o seu vídeo com mais visualizações, em um total de 22 milhões de views.  Em outubro daquele ano, lançou finalmente o álbum de estreia, o delícioso Dopamine. Ele o criou, inspirado após passar a vida inteira escutando David Bowie e a banda de rock inglesa T. Rex, além de criar uma aesthetic vintage, das Playboys antigas, e a iconografia da década de 1970. Dessa vez ele criou a sua versão contemporânea, e decadente do glam-rock. Destaque para as músicas Holy Ghost, American Money, Dug My Heart e Clouds. É um álbum extremamente coeso, e viciante. Dificilmente você vai conseguir se enjoar de alguma das faixas de Dopamine, ele é de fato é uma dopamina.

Chuck Grant

No último 12 de janeiro, BØRNS nos presenteou mais uma vez, com o icônico novo álbum, Blue Madonna. Composto de doze faixas, e produzido por Thomas Schleiter, o novo trabalho do cantor tem a partipação de Lana del Rey nas faixas God Save Our Young Blood, e na faixa títuloe a combinação das vozes de ambos é definitivamente tudo aquilo que você pensa em ouvir quando chegar ao paraíso. A melancolia de Lana, que parece sair de uma nuvem noir dos anos 40, se encontra e o tom jovial e optimista de Børns, diretamente dos anos 80, e criam a perfeita atmosfera entre ambos.

Destaque para a música Blue Madonna, que parece conter apenas os vocais do de Børns, mas de repente, você se assusta ao escutar a angelical e sexy voz de Del Rey na segunda parte da canção. O álbum segue a mesma vibe do anterior, extremamente difícil de resistir aos encantos da voz de Garrett, trazendo sempre músicas delíciosas de serem ouvidas e também dançadas. Por favor, Børns, nunca pare de fazer música! Curiosidade: A capa do álbum aí em cima foi fotográfada por Chuck Grant, e pra quem não sabe ela é irmãzinha de Lana. Fiquem aí com a playlist que preparei para vocês.

 

Beijos, Pedro!

Tags

Postado por

Equipe

De todas as ruas que existem nos seis continentes do mundo, há pessoas querendo falar. Pois bem, o R6 dá voz.

Comentários