Publicado em 14 de dez de 2017

A maior retrospectiva que você respeita 2

Semana passada, a missão do Rua 6 foi lembrá-los dos melhores memes de 2017 para cairmos na gargalhada juntos. Só que dessa vez, mudamos o roteiro e queremos mesmo é que vocês liguem o computador ou a televisão (você quem escolhe, em?) e comecem a maratona dos nomes que surgiram no mundo das séries esse ano.

Você escolhe se a sua companhia será você mesmo, um amigo, ou a família. Só não pode deixar 2017 acabar sem conhecer, pelo menos, uma dessas histórias, combinado? Ah, e também não pode sair contando spoilers para quem ainda não conhece, então, só indica esse post e deixa o recadinho embaixo: depois não diz que eu não avisei!

Sem enrolação, desce o post e vem conferir a nossa categoria de SÉRIES do ano:

01. 13 REASONS WHY

Lançada em março, a adaptação do livro da autora Jay Asher, sem sombra de dúvidas, foi a grande produção da Netflix em 2017. Com a história centrada em Hannah Baker, uma garota que cometeu suicídio e deixou 13 fitas explicando o porquê de sua morte, a reação do público foi polarizada.

Enquanto alguns diziam que a trama era importante para a discussão de assuntos como transtornos psicológicos, abuso sexual e até mesmo bullying, outra parcela confrontou essa ideia com a opinião de que a série nada mais era do que um manual de como se matar.

Incentivamos você a assistir os 13 episódios para que você forme a sua própria opinião, mas já adiantamos que não é uma série fácil de digerir, porque realmente existem cenas fortes, que trabalham com assuntos delicados. Mas em um ano em que a taxa de suicídio cresceu 12% no Brasil, talvez seja importante conversarmos sobre.

02. Riverdale

Diferente da nossa primeira indicação, essa série talvez não é muito conhecida. Mas isso não significa que ela não traz consigo uma boa história. O responsável por fazer com que eu desse uma chance a ela? Um dos integrantes daqui, do Rua 6, o Pedro Moraes que escreve para a editoria Lifestyle. 

Quando o perguntei sobre o que era a trama, ele me deixou curiosa quando disse que a história era uma mistura de Gossip Girl e Pretty Little Lies. Mas não tinha entendido o que ele quis dizer até dar play no primeiro episódio e sentir, desde o primeiro segundo, o mistério no ar, com a morte de Jason Blossom, irmão gêmeo de Cheryl, a ruiva mais peculiar que você conhecerá. Esse suspense ainda é somado a exuberância de alguns personagens, como Verônica Lodge, que chega a Riverdale após a prisão de seu pai.

A verdade é que você precisa assistir a essa série porque dentro dessa pequena cidade, a inteligência de Betty Cooper, a beleza de Archie Andrews, o talento de Jughead Jones, a singularidade de Verônica Lodge e a insensatez de Cheryl Blossom irão conquistar você nessa trama insana de Riverdale. Acredite, tudo começa com um assassinato, mas é nos segredos familiares que o perigo mora!

03. DYNASTY

A verdade é que: se envolve família e dinheiro, pode ter certeza que o terceiro elemento desse mix é confusão.

Como o próprio nome da trama demonstra, o foco da história está em famílias poderosas que tentam controlar não apenas lugares que gerem fortunas, mas os próprios filhos. Como é o caso de Fallon Carrington, que retorna à mansão do pai com o pensamento de que se tornará a próxima CEO da empresa bilionária familiar, mas é apenas comunicada que ela não será mais a única mulher da casa.

Tão promissora quanto o trailer acima, a série entrou na Netflix brasileira em outubro e promete ser a nova Gossip Girl com muita luxúria, casais inesperados e, principalmente, segredos escondidos capazes de destruir todo um reinado. Só dando play para saber se essa promessa foi cumprida com a primeira temporada de sete episódios!

04. YOUNG SHELDON

Para os amantes de The Big Bang Theory, essa série foi como um presente entregue com muito amor aos fãs.

Sheldon, um dos personagens favoritos do público assíduo da série de comédia TBBT, ganhou um spin-off interessante: a história veio com a proposta de mostrar como ele, a partir dos seus nove anos, lidou com o fato de ser diferente comparado as outras pessoas. A autenticidade de Sheldon criança é o que faz a série ser fácil e gostosa de assistir, além da inteligente escolha na duração de cada episódio: você não demorará mais de 20 minutos em cada um.

Mas mesmo com algumas gargalhadas e o ritmo fluido, a história não é só feita de momentos descontraídos. Alguns diálogos farão você pausar a série e pensar: caramba, é difícil ser diferente – ainda que às vezes o próprio personagem principal não se importe muito com isso. Talvez olhar de longe a situação nos faça pensar que inúmeras vezes somos nós que fazemos a vida diferente do outro difícil, não é?

05. LAS CHICAS DEL CABLE

Essa indicação e a próxima (nada de sair descendo a tela sem ler esse tópico!!!) são as séries que mais farão você pensar sobre a condição feminina, tanto na atualidade como antigamente.

Carregando consigo o título de primeira série espanhola original da Netflix, Las Chicas Del Cable traz à tona a história de quatro telefonistas, vividas entre 1920 e 1930, que trabalham em uma empresa que busca mudar o conceito de comunicação na Europa. Além disso, outros dois ápices da produção são o surgimento dos motivos sufragistas e a busca pelo direito ao divórcio pedido pelas mulheres.

Para os amantes das roupas de época, histórias de empoderamento e até mesmo romances, vale a pena dar uma chance para a série que trouxe como protagonista Blanca Suárez, a atriz que protagonizou o filme A Pele em que Habito, do diretor Pedro Almodóvar.

06. THE HANDMAID’S TALE 

Apenas pela tumb do trailer é nítido que diferente da anterior, The Handmaid’s Tale foi construída com um teor mais pesado para retratar, ainda que de forma fictícia, a realidade feminina.

Após o assassinato do presidente dos Estados Unidos e de outros políticos, uma facção católica torna-se a nova instituição de poderio e a sua meta é restaurar a paz. Para isso, o país tem um regime totalitário implantado em que suas regras são baseadas no antigo testamento da bíblia. Isso significa que muitos direitos foram tirados com isso, especialmente os das mulheres, quando elas se tornam nada mais que procriadoras, tanto para os homens como para mulheres estéreis da alta classe.

Não é uma série fácil de ser digerida, mas Offred é uma das personagens que fazem o play valer a pena. Então, segue a nossa dica e depois volta para nos contar se estávamos certos ou não.

 

Depois dessas seis indicações, você não pode nos dizer que não há nada para assistir nas férias, em? Mas o nosso combinado precisa ser: nada de abandonar o Rua 6 e os posts semanais de diferentes editorias só para não perder um segundo dessas histórias, ok? Até mesmo porque esperamos você, na próxima quinta-feira, para falarmos sobre as músicas e o cantores que não deixaram seus pés parados em 2017. Ou você achou que nós permitiríamos que o seu natal e ano novo passarem sem as playlists marcantes do ano? Até parece!

Até a próxima, Alice Arnoldi.

Tags
Equipe

Postado por

Equipe

Somos mais que uma equipe, somos amigas bem diferentes entre si. Mas estamos sempre conectadas tentando trazer abordagens bacanas, pensantes e diferentes para vocês.